Andriyko-mudriyko

Андрійко-мудрійко, ou Andrezinho espertinho, é um singelo conto infantil, um dos muitos que pais e avós contam aos pequenos.

 

 

Андрійко-мудрійко faz parte da imensa coleção de contos infantis ucranianos, muitos dos quais foram “importados” de outros países eslavos e europeus, como é o caso deste, de origem bielorussa. Esses contos são muito queridos por todos os ucranianos, que são mantidos e passados de geração a geração. Quase todos eles exaltam a natureza, os animais, o trabalho, as virtudes, sempre trazem ensinamentos e caminhos éticos e morais. Podem ser considerados até “tolinhos” hoje, em que o mundo está tecnologicamente conectado e vibrando em ritmo acelerado. Porém, vale a pena conhecer (ou reconhecer) um desses e relembrar que quem contava um conto…. Com essa tradução, feita de forma livre por uma avó para entreter os netos quando eram pequenos, fazemos nossa singela homenagem aos vovôs e vovós no Dia dos Avós, comemorado no dia 26 de julho.

 

Tradução: Nathalia Samila

Adaptação para o ucraniano: Olesya Yakymovych [Олеся Якимовича]

Ilustrações: O.Yakutovych [О.Якутович]

Tradução para o ucraniano: B.Chaykovskyy [Б.Чайковський]

 

 

 

Andriy era um menino muito curioso e esperto. Queria saber tudo e ficava perguntando às pessoas sobre todas as coisas. Perguntava: as nuvens no céu, como elas surgiram, para onde vão? Para onde correm as águas dos rios? Quem plantou todas as árvores? Por que os pássaros com asas voam por todas as partes e as pessoas não têm asas?

As pessoas falavam: você, Andriyko, quer ser mudriyko (espertinho)? Não é possível saber tudo. Mas ele acredita que pode saber tudo.

– Vou – disse – até o sol. Ele ilumina todos os lugares, tudo vê e tudo sabe. Ele me explicará o que eu não sei.

 

 

Deixou sua casa e foi procurar aquele lugar onde o sol se põe ao anoitecer. Andando pela estrada, encontrou um senhor que estava sentado numa pedra e que perguntava para todos: até quando eu vou ficar por aqui? Andriy também não sabia responder.

Foi adiante e encontrou um senhor que, com as costas, escorava a cerca. Andriy perguntou:

– O que o senhor está fazendo?

Ele disse:

– Eu não sei. Pode ser que você sabe?

– Se eu soubesse, não estaria procurando quem tudo sabe.

 

 

Continuou seu caminho e foi encontrando mais pessoas nesse trajeto.

Logo chegou a um lugar de mata fechada. Ficou muito cansado, pois não encontrava lugar para repousar. Após longa caminhada, avistou um palácio. Muito admirado, foi procurando alguém. E avistou uma senhora idosa.

A senhora perguntou o que ele queria e como chegou ali. Ele fez uma reverência respeitosa e falou que estava indo para o sol, procurar saber o que não sabia. Então ela perguntou:

– O que você não sabe?

 

 

Ele disse que ele mesmo não sabia o que procurar. Neste momento anoiteceu e a senhora se recolheu para dormir.

Andriy se retirou do palácio. Reunindo pedaços de gravetos, fez uma improvisada fogueira que usou para preparar algo para comer.

Depois ficou com sede e foi procurar água para beber. Naquele momento apareceu uma jovem muito bonita e falou para ele não tomar a água daquela fonte pois estava muito quente. Ele respondeu que estava com muita sede. Então ela disse:

– Me acompanhe que vou te levar onde há água bem fresquinha.

Ele tomou muita água fresquinha.

 

 

Logo começou a aparecer o sol e ele queria seguir em frente, mas não podia se afastar da linda jovem. Porém criou coragem e saiu. Mas sentiu que precisava voltar.

Foi quando contou ao sol a que veio.

O sol então lhe disse:

– Para te ensinar, não tenho tempo, mas acredito que você mesmo vai saber tudo.

 

 

E ele logo sentiu tudo claro na sua cabeça. Foi assim que seu coração sentiu que estava no caminho certo para encontrar o que procurava. Então quis ver mais uma vez a linda jovem.

Enquanto ele chamava a jovem, cai uma estrela do céu e se transforma na tão admirável moça. Quando Andriyko viu isto, o coração dele logo sentiu que era ela que ele procurava.

Andriy pegou na mão da jovem e com ela seguiu de volta para sua família. Tão feliz ele seguia que nem os pássaros batendo com as asas neles o incomodava.

 

 

Retornando pelo mesmo caminho, ele encontrou todos aqueles a quem ele perguntava o que faziam ali e por que. Eles não sabiam e ele também não sabia. Mas a cada um deles, Andriyko dava uma idéia boa para que resolvessem seus problemas.

Para o que escorava a cerca, falou:

– Se você ficar assim, a cerca vai apodrecer e cair. Faça uma cerca melhor.

O homem saiu correndo para executar esse trabalho e agora já sabia o que tinha que fazer.

Ao que estava sentado na pedra, Andriy disse:

– Não seja tão egoísta. Deixe a pedra para que outras pessoas possam usá-la para descansar.

O senhor se levantou, deixando-a livre e então já sabia o que tinha que fazer. Assim, Andriy e a jovem sentaram para descansar um pouco e seguiram para a casa da família.

 

 

Agora não é mais o Andriy quem fica fazendo as perguntas, mas é para ele que o povo fica perguntando muitas coisas.

Assim, tornou-se o mais sabido, o verdadeiro Andriyko Mudriyko.

 

Fonte do conto original e das ilustrações:

http://xn--80aaukc.xn--j1amh/andrijko-mudrijko.html

Deixe uma resposta