O sol se põe

Сонце заходить, гори чорніють…, de autoria de Taras Shevchenko, um poema atemporal e muito querido em toda a Ucrânia

 

Escrito pelo maior poeta ucraniano, conhecido e reconhecido em todo o mundo, Taras Shevchenko nasceu em 1814, na aldeia de Moryntsi, na região de Tcherkassy. Ficou órfão muito cedo e cedo conheceu de perto a miséria e a injustiça, marcas que calaram fundo na alma do jovem e que marcam muitos de seus trabalhos. Viveu em regime de servidão por muito tempo enquanto trabalhava e nos intervalos pintava e escrevia. Conseguiu sua liberdade e um trabalho fora da Ucrânia que possibilitava viagens frequentes às aldeias de sua terra natal e a uma produção riquíssima de poemas e pinturas. Foi então exilado e proibido de escrever. Desobedeceu às normas e foi encarcerado. Após a morte do tzar, ainda no exílio, Taras consegue a liberdade, mas não a autorização para voltar à Pátria. Morreu no exílio, em 1861, em São Petersburgo e seus restos mortais foram levados para a Ucrânia, conforme seu último desejo.

Este poema foi escrito em 1847 e até hoje muito atual.

 

Autor: Taras Shevchenko

Tradução: Ludmila Szymanskyj

Música: Oleksij Kerekesha [Олексій Керекеша]

 

 

O sol se põe Сонце заходить, гори чорніють… Sontse zakhodytʹ, hory chorniyutʹ…
O sol se põe, colinas negrejam Сонце заходить, гори чорніють, Sontse zakhodytʹ, hory chorniyutʹ,
A avezinha se cala, o campo se aquieta, Пташечка тихне, поле німіє, Ptashechka tykhne, pole nimiye,
Homens contentes fruem repouso, Радіють люде, що одпочинуть, Radiyutʹ lyude, shcho odpochynutʹ,
Mas eu só miro… e voo com alma А я дивлюся… і серцем лину A ya dyvlyusya… i sertsem lynu
Ao pomar escuro na minha Ucraína. В темний садочок на Україну. V temnyy sadochok na Ukrayinu.
Voo com meus pensamentos, Лину я, лину, думу гадаю, Lynu ya, lynu, dumu hadayu,
E assim a alma se acalma. І ніби серце одпочиває. I niby sertse odpochyvaye.
Negrejam campos, matas e montes, Чорніє поле, і гай, і гори, Chorniye pole, i hay, i hory,
No céu profundo nasce uma estrela. На синє небо виходить зоря. Na synye nebo vykhodytʹ zorya.
Oh estrela, estrelinha! – e lágrimas rolam. Ой зоре! зоре! — і сльози кануть. Oy zore! zore! — i slʹozy kanutʹ.
Tu já surgiste na minha Ucraína? Чи ти зійшла вже і на Украйні? Chy ty ziyshla vzhe i na Ukrayni?
Será que olhos amados Чи очі карі тебе шукають Chy ochi kari tebe shukayutʹ
No céu te buscam? Ou já esqueceram? На небі синім? Чи забувають? Na nebi synim? Chy zabuvayutʹ?
Se já esqueceram, durmam tranquilos, Коли забули, бодай заснули, Koly zabuly, boday zasnuly,
E com o meu destino não se perturbem. Про мою доленьку щоб і не чули. Pro moyu dolenʹku shchob i ne chuly.

 

 

Fonte do poema original:

http://taras-shevchenko.in.ua/virshi/sonce_zahodyt_gory_chorniyut.html

 

Veja e ouça:

 

Saiba mais

A atualidade desse poema está evidente na música de Oleksij Kerekesha [Олексій Керекеша] (in: http://www.pisni.org.ua/songs/872116.html), compositor, cantor e líder da banda Fata Morgana [ФАТА МОРГАНА] (http://www.fata-morgana-band.com/), que em ritmo bem atual traz para a juventude ucraniana um pouco da alma patriótica de Taras Shevchenko. Veja e ouça:

 

 

Poemas declamados são muito queridos pelos ucranianos. Veja e ouça essa versão declamada:

 

 

 

 

Deixe uma resposta